Dr. Fábio Ancona: a violência social e os avós

Violência
O autor, com sua larga experiência de vida, propõe formar uma corrente em favor a aceitação de diferenças e a valorização da paz

Por Fábio Ancona Lopez

Palavra de especialista: o papel dos avós é ensinar o amor

Quem já é avô deve ter idade entre 50 e 80 anos, aproximadamente. Este fato implica em que os mais velhos podem ter vivenciado as emoções do fim da Segunda Guerra, do suicídio de Getúlio Vargas, do golpe e da violência da ditadura militar a partir de 1964, das manifestações contra a intervenção norte-americana no Vietnã, da Guerra Fria.

Na mesma linha vêm os eventos mais recentes, seguramente vividos também pelos avós mais jovens: a derrubada do muro de Berlim, com todas suas consequências, a crise migratória no mundo, as guerras localizadas na África e Oriente Médio e, praga do mundo atual, atentados terroristas por motivos políticos e massacres de inocentes por indivíduos que agem isoladamente, sem motivos claros, na maioria das vezes.

Com certeza todos, em algum instante, se revoltaram contra a violência que acompanhou esses eventos e, de alguma forma, tomaram posição contra eles.

Em situações de polarização política, como é o momento atual do Brasil, a violência tende a recrudescer, especialmente se existir uma pregação belicosa de algum lado.

Corrente a favor violência

Sem entrar aqui no mérito do comportamento político dos atuais governantes, é importante deixar claro que deve ser uma posição de todo o meio social o repúdio a qualquer simbologia de violência.

Infelizmente, chegamos a um ponto em que crianças aprenderam que fazer um gesto simbolizando uma arma passou a ser natural, como forma de expressar uma posição política.

Coloco para os avós de qualquer opinião em termos ideológicos: você daria uma arma de presente para seu neto ou neta? Você gostaria que nas brincadeiras deles a violência e a morte estivessem sempre presentes?

Tenho certeza que a maioria absoluta responderia que NÃO a essas questões. Estatísticas confiáveis nos mostram que onde há mais armas há mais violência e mortes.

Vamos então nos conscientizar de que um dos papéis mais importantes dos avós é ensinar o amor, a aceitação de diferenças e a valorização da paz e vamos formar uma verdadeira corrente em favor desses ideais que devem ser permanentes para todos os seres humanos.

Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então.

Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então.

E mais…

Veja também no portal avŏsidade:

Dr. Fábio Ancona: apoiar sem interferir

Discussões políticas: como os avós podem participar?

Dr. Fábio Ancona: por que existem gordos e magros?

Dr. Fabio Ancona: os alimentos e o sono das crianças

Dr. Fabio Ancona: avô, motorista ou office boy?

Dr. Fabio Ancona: o que é sororidade?

Dr. Fabio Ancona: cuidar dos netos faz bem à saúde

Dr. Fabio Ancona: a importância das avós para as famílias

Dr. Fabio Ancona: o papel dos avós no parto dos netos

Dr. Fabio Ancona: como se preparar para ser avô

Dr. Fabio Ancona: nutrição x afeto

Dr. Fabio Ancona: “O que vale hoje pode não valer amanhã”

Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então.

Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então.

Acompanhe o portal avŏsidade também no Facebook!

 

Fábio Ancona Lopez é médico com experiência de mais de 50 anos de exercício da Pediatria e especialização em Nutrologia; é professor titular aposentado da Disciplina de Nutrologia do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo; é autor do livro “Avós e Netos – uma forma especial de amar – manual de convivência”, além de ser também um avô muito experiente

Posts relacionados

*

Topo