Fafá de Belém: “Ser avó foi retomar as esperanças”

“Adoro ter criança por perto; refresca minha criança interior”, diz a vovó Fafá

● Entrevista com a cantora Fafá de Belém

 

► Em um ano, a cantora perdeu a mãe, no outro, ganhou a primeira neta: “Quando vi minha filha com a filha dela no colo, passou um filme na minha cabeça”. Hoje Fafá comemora boa fase, 59 anos de idade, 40 de carreira e a espera pela segunda descendente: “Adoro ter crianças por perto; refresca minha criança interior”.

 

Ninguém está livre de uma coisa assim. O ano de 2010 foi duro para a família Figueiredo, mais conhecida como família Belém. Maria de Fátima, a Fafá, perdeu a mãe. Sua filha, Mariana Belém, além da avó perdeu dois bebês em abortos naturais. E um irmão, por parte de pai. Por isso o nascimento de Laura, a primeira neta da cantora, em 2011, teve um significado especial. “Foi como um retomar de esperança”, conta ela.

“Quando abri a porta do quarto e vi Mariana com Laura no colo, me emocionei muito. Passou um filme de todas as barras que passei”, relembra a cantora, colocando na conta das dificuldades também as críticas que ouvia ao criar a filha sozinha, nos anos 1970.

Depois de tudo isso, Fafá de Belém conversa com o portal “avŏsidade” em tempos de bonança. Neste domingo, dia 9 de agosto, comemora o aniversário de 59 anos e este mês o lançamento do seu novo trabalho (o CD Do Tamanho Certo para o Meu Sorriso, em homenagem às suas quatro décadas de carreira), e acaba de saber que vai ter a segunda neta.

Um motivo a mais para a risada com que sempre pontua suas falas. “É difícil falar ou ainda traduzir em palavras a alegria que explode em minha alma”, postou dias atrás na sua conta no “instagram”.

Vo fala - Fafa de Belem 3

A filha Mariana, a neta Laura e Fafá de Belém

Vestida de princesa

“A minha relação com Laura é muito leve, viu? Eu sou uma vovó lúdica”, avisa a cantora, bem humorada. Para a menina de quatro anos, as roupas de show da avó viram fantasias de princesa. No faz-de-conta das duas, Fafá é a rainha. “A gente morre de rir, a gente brinca”, conta ela. “Engraçado que Mariana, minha filha, era mais tímida. Laura, minha neta, é o sertão pegando fogo.”

Nesta entrevista, ela revela mais aventuras e segredos com a garota, canta a música que costuma dedicar à pequena, em casa, e diz ter tranquilidade em ser avó e quase sexagenária: “Adoro ter crianças por perto; refresca minha criança interior.”

 

A seguir, os principais trechos da entrevista com a avó Fafá de Belém:

 

A CONQUISTA DAS RUGAS

Medo de envelhecer não é com a cantora: “Acho meio ridículo pessoas que são avós e pedem pra chamar de tia”

“Bom, eu não tenho problema qualquer com idade. Gosto das idades todas que eu tive. Eu acho um pouco ridículo pessoas que são avós e pedem pra chamar de tia. Acho meio estranho. Mas tudo bem, é opção de cada um. Mas acho que a gente vai crescendo e o tempo vai correndo. E quanto mais você estiver plena na sua maturidade e na conquista diária das rugas que o tempo nos traz, acho que mais tranquila é a vida. Acho que a gente vai percebendo que envelhece desde a adolescência… Não, a adolescência é muito autocentrada pra isso (risos).”

 

AVÓ E BRUXA

Fafá conta como adivinhou que a filha dela estava grávida antes mesmo de receber a notícia: “Não sei por que tenho essas sensações”

“Quando Mariana anunciou que estava grávida, me disse… Ela entrou e eu falei ‘Você tá grávida?’ Que eu tenho essa… não sei por quê, essa sensação, né? Acabou de entrar uma amiga dela em casa e eu disse ‘Você tá grávida?’. Ela falou: ‘Eu não contei pra ninguém ainda! Bruxa!’. E aí ela ficou ‘Ah, mãe, é que eu… ah… hã…’ e eu falei ‘não, tudo bem, não precisa inventar, é uma coisa sua…’ Ela tinha perdido já dois bebês. ‘Mas que maravilha que você tá grávida!’. Foi um momento de muita expectativa porque ela tinha perdido um bebê com oito semanas, e o outro era uma gestação bem confusa, quando o irmão dela faleceu.”

 

RETOMADA DA ESPERANÇA

A cantora narra as turbulências da família em 2010 e a renovação com o nascimento da neta, no ano seguinte

“A chegada de Laura nas nossas vidas foi uma coisa como se um retomar de esperança. No ano de 2010, Mariana perdeu um irmão, eu perdi minha mãe, né, Mariana perdeu a avó. Foi um ano muito… muito triste. E ela perdeu dois bebês. Então 2011 entra espetacularmente com Laura estreando na passarela. E nós programamos tudo para estar próxima a ela no parto. Ia viajar, planejava milimetricamente, ficava planejando… No dia 30 de dezembro eu tinha espetáculo na Praia do Forte. (…) Acordei no meio da noite com: ‘Mariana foi pra maternidade’. Não deu nem tempo de avisar a produção.”

 

A SENSAÇÃO DE SER UMA FAMÍLIA

O primeiro sentimento de Fafá ao ver sua neta: “Mais do que qualquer coisa, me deu a sensação da construção de uma família”

“Então a cena que eu encontrei ao abrir a porta é a Mariana, minha filha, com a filha dela no colo. E eu fiquei muito emocionada, porque mais do que qualquer coisa, me deu a sensação da construção de uma família. Ela com os sonhos dela, com as ansiedades e anseios dela, eu com as minhas metas, sonhos e anseios de vida também. Sendo uma mãe solteira, sendo criticada por gente da família ‘Você tem que levar o bebê pra tudo que é lugar’. Mas eu amamentei até os 3 meses e meio e ela tem que ter o espaço dela. Se para a gente é difícil cada dia acordar num hotel, como é que uma criança vai ter a noção de espaço crescendo no braço de Deus e o mundo?”

 

A VIDA TODA PASSA COMO UM FILME

Ainda contanto a primeira sensação: “Quando vi minha filha com a filha dela no colo, passou um filme com todas as barras que eu passei”

“Quando eu entro e vejo Mariana absolutamente feliz, com um bebê absolutamente saudável, passou um filme de todas as barras que eu enfrentei. E fundamentalmente da alegria que foi enfrentar todas as barras e ver Mariana plena com uma filha no colo, linda, saudável. E com temperamento, que ela quis nascer em 2011, que ela disse: ‘Ano que vem eu não vou. Eu não espero ninguém. Os fogos do réveillon serão pra mim’. E assim estreou Laura na nossa vida.”

 

MÚSICA PRA FILHA E PRA NETA

Uma palhinha das canções com os nomes delas que Fafá costuma cantarolar em casa

“Quando eu soube do nome, imediatamente lembrei da canção, em inglês, né? (canta). Sempre cantei esse tipo de música. Pra Mariana, pequenininha, eu cantava a música do Edu: (canta). Então, é o meu universo. Claro que as minhas cantigas de roda e de ninar, elas vão entrando no universo da gente. A canção que eu cantava pra Mariana era Mariana, de Edu Lobo, e pra Laurinha é Laura – I love You, Laura! (cantarola).”

 

RAINHA E PRINCESA

Os segredos e aventuras da vovó Fafá com a neta Laura

“A minha relação com Laura é muito leve, viu? Que eu sou a vovó lúdica. Eu abro os guarda-roupas, que tenho todas as roupas de show catalogadas. Ela gosta de vestir de princesa, agora tá na mania de vestir de princesa. E temos nossos segredos. Ela vem me oferecer coisas, a gente combina umas viagens, pra Paris, pra Istambul… Eu mandei umas fotos do castelo onde eu fiquei hospedada, que é o Palácio de Bussaco [em Coimbra, Portugal] e ela [cochichando] ‘Vó! A gente pode ir?’ ‘Pode, Laura’ ‘Posso colocar minha roupa de ‘pincesa’?’ ‘Pode, Laura’ ‘Vai só nós duas, tá?’ E a Mariana: ‘O quê? Vocês tão fazendo um complô? E eu? Eu também vou.’ Ela falou ‘Não, vou eu e a vovó. Porque eu sou a princesa, ela é a rainha’. ‘E eu?’, a Mariana perguntou. ‘Você é o guarda’ (risos).”

 

O SERTÃO PEGANDO FOGO

Segundo a avó Fafá de Belém, sua neta é bem educada, mas muito extrovertida: “Ela é o sertão pegando fogo”

“A gente morre de rir, a gente brinca. Eu não me meto na criação dela. Acho que os pais criam ela muito bem, não interfiro. Se em algum momento eu acho que eles podiam pegar mais leve, eu com certeza peguei pesado com Mariana e minha mãe achou que podia pegar mais leve. Entendo que eles são os pais. E que eu devo ter, como avó, respeito absoluto pela orientação e educação que eles dão à Laura. Nos momentos de brincadeira, ela é muito educada, muito doce. Engraçado que Mariana era mais tímida, Laura não. Laura é o sertão pegando fogo (risos).”

 

A CRIANÇA INTERIOR

Fafá conta que se “refresca” com crianças e adolescentes

“Adoro crianças e adoro jovens em casa. E eu gosto, isto me refresca… a criança me refresca, refresca minha criança interior. Eu digo que não pode abrir mão da vida. A vida é muito preciosa. Infelizmente, no Brasil a maturidade é muito desrespeitada. E quanto mais se entra na idade, menos respeito tem. O velho, o idoso, ou quem tem mais de 50 anos, que é o meu caso, é como se tivesse uma coisa incômoda. E, ou você faz a sua vida, procura seus amigos, faz suas coisas, e os filhos também farão a vida deles. Os netos também. Então, se você tem um companheiro, ótimo. Se não tem,: amigas.”

 

NÃO SE ENTREGAR JAMAIS

Fafá dá conselhos para os avós se conservarem joviais e não se entregar “só porque não tem mais 25…”

“Então viajem em grupo, de pessoas da sua idade. Ou viaje sozinha, com grupos mesclados, continue sua vida. Porque o tempo não para, nem a vida, a não ser que você queira e se imponha esse sacrifício extremo de abdicar das alegrias só porque não tem mais 25, como nós (risos).”

 

► Veja no canal “vŏ canta”:

Fafá de Belém canta a capela (sem acompanhamento instrumental) uma canção de ninar tradicional da Amazônia: Murucututu

Posts relacionados

Um comentário

*

Topo