Lendas natalinas

Lendas
Maria em fuga para o Egito leva seu bebê recém-nascido no colo, a cena que inspirou uma das lendas que mais emocionam as crianças

Por Elisabete Junqueira

 Histórias que encantam gerações por todo o mundo

Como todas as lendas, as natalinas seguem a narrativa fantasiosa transmitida pela tradição oral através dos tempos. Elas combinam fatos históricos com outros elementos que são meramente produto da imaginação humana.

O Natal inspira muitas delas! Quase todas muito bonitas e sempre com mensagens de amor e esperança. Sutilmente, revelam o verdadeiro espírito da festa.

Fuga para o Egito lendas

Essa é minha lenda natalina preferida. Minha avó materna Virginia Lúcia contava para os seus netos. Eu adorava essa história e agora os meus netos também curtem muito.

A lenda remete ao menino Jesus. O fato acontece logo após o seu nascimento. O episódio é conhecido como “Fuga para o Egito”, descrito no Evangelho de Mateus.

José foge para o Egito com sua esposa Maria e seu filho recém-nascido Jesus, após a adoração dos reis Magos. Um anjo aparece para ele e ordena que levasse a sua família para o Egito.

O rei Herodes, em Jerusalém, informado de que havia nascido um menino que seria “Rei dos Judeus”. O rei ficou temeroso de que a criança um dia lhe tomasse o trono e ordenou a matança de todos os recém-nascidos meninos da região.

O Egito era o lugar ideal para o refúgio, pois estava fora do domínio do rei Herodes, mas ainda dentro dos territórios do Império Romano. A sagrada família pôs-se em marcha rapidamente.

As paradas eram poucas, pois José tinha pressa em chegar ao seu destino e deixar a família em segurança. No meio da viagem, o menino Jesus fez xixi e escorreu pelo lombo do burrinho que carregava Maria com seu bebê.

A partir desse episódio, todos os burrinhos do mundo têm uma mancha de nascença nesse lugar, o xixi do menino Jesus. Ela simboliza da fuga exitosa do Salvador.

Sapatinho de Natal lendas

Quando morávamos em casas com quintal, as crianças deixavam seus sapatinhos na janela para que o Papai Noel colocasse ali os seus presentes. A canção “Sapatinho de Natal”, de Octavio Babo Filho, primo do famoso compositor Lamartine Babo, deixou essa prática ainda mais conhecida.

A tradição vem de longe. Em alguns países europeus, como Portugal e Espanha, as crianças eram estimuladas a deixar sapatos na janela com um pouco de capim para alimentar as montarias dos Reis Magos e eles pudessem continuar a viagem. No lugar do capim, os Reis Magos deixariam doces para as crianças.

Pinheiro de Natal lendas

Essa lenda é atribuída ao escritor francês Jean-Baptiste Poquelin, conhecido como Molière.

Há muito, muito tempo, na noite de Natal, existiam três árvores junto do presépio: uma tamareira, uma oliveira e um pinheiro.

Ao verem o menino Jesus nascer, as três árvores quiseram oferecer-lhe presentes.

A oliveira foi a primeira, dando ao menino Jesus as suas azeitonas. A tamareira, logo a seguir, ofereceu-lhe as suas doces tâmaras. Mas o pinheiro, como não tinha nada para oferecer, ficou muito infeliz.

As estrelas do céu, vendo a tristeza do pinheiro, que nada tinha para dar ao menino Jesus, decidiram descer e pousar sobre os seus galhos, iluminando e enfeitando o pinheiro.

Quando isto aconteceu, o menino Jesus olhou para o pinheiro, levantou os braços e sorriu!

E foi assim que o pinheiro, sempre enfeitado com luzes, foi eleito a árvore típica de Natal.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

E mais…

Veja também no portal avŏsidade:

Como é o Natal em outros países

Gosto pelo presépio, herança do avô

É Natal, então bate o sino

Vó Rita: Natal delicioso com os netos

O protesto que virou canção natalina

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. É.

Acompanhe o portal avŏsidade também no Facebook e no Instagram!

 

Elisabete Junqueira é fundadora do portal avŏsidade e avó Mateus, Sofia, Rafael, Natalia, Andrew, Thomas e Cecilia Marie

Posts relacionados

*

Topo