O sonho de voar e virar nuvem

Sonho
A autora Silvia com a neta Helena e a mãe (e bisavó) Ivone, de 80 anos: a vida ficou mais leve, mais linda, mais doce e mais colorida

Por Silvia Regina Angerami

● O encanto da descoberta das paixões em comum entre avó e neta

► Tem muita amiga minha que nutre o sonho de ser avó e acalenta este desejo com toda a calma e a paciência, que só os anos bem vividos nos dão, enquanto os filhos enrolam ou não se decidem.

Mas meu caso foi diferente. Quando fui avisada pelo meu filho que em breve eu seria avó, minha primeira reação foi protestar internamente. “Mas ainda sou muito jovem para ser avó!” – pensei comigo, do alto dos meus 48 anos.

Fiquei imaginando: será que então, neste meu novo papel de avó, terei de usar coques, como a vovó Donalda? Ou que aprender a fazer aquela bela torta de maçã como a que ela faz nas histórias em quadrinhos? De cara, decidi usar o desenho da vovó Donalda como minha “foto do perfil” no MSN. Era o programa de bate-papo que a gente usava naquela época.

Hoje já se passaram praticamente 10 anos desde que tive a notícia da chegada da Helena ao planeta Terra. E afirmo, com toda a convicção, que a vida ficou mais leve, mais linda, mais doce e mais colorida depois que ela chegou e iluminou tudo por aqui.

Meus medos se dissiparam e aproveito hoje tudo o que tem de bom neste meu gostoso papel de avó e na convivência com ela de quase todos os fins de semana.

A Helena é do signo de Touro e carrega com ela as características mais marcantes desse signo, ou seja, não é uma menina delicadinha, mas tem um baita talento para a dança.

Adora comer de tudo e sempre nos surpreende com seu apetite voraz. Ela é uma das maiores fãs do coral do qual eu participo há uns três anos, é ela quem nos fotografa e faz vídeos das nossas apresentações.

Neta incentivadora

E a literatura é outra das nossas paixões em comum. Eu, que sempre quis ser uma autora de livros infantis, encontrei na Helena minha maior incentivadora. Li para ela uma historinha que estava guardada dentro de uma pasta de plástico alaranjado, sobre as aventuras de um Chumaço de Algodão que sonhava ser nuvem e voar livre pelo céu.

E a Helena adorou a historinha. Certo dia, quando um casal de amigos estava almoçando aqui em casa, ela fez questão de ler a história para eles. Este fato me encorajou a tirar a minha história da gaveta e trazê-la ao mundo!

No ano passado, lancei, pela minha editora, no selo Fantasy Books, meu livro “Chumaço de Algodão”, fruto de um projeto de financiamento coletivo naquele site chamado Catarse.

Desde então, a Helena e eu temos trabalhado juntas em outros projetos de livros, e no momento certo lançaremos nossas novas obras literárias. Talvez no ano que vem.

Para mim, ser jovem é ter planos e sonhos. Independentemente da data que consta no RG. E a Helena é a minha grande motivação para querer ser sempre jovem. Embora eu carregue minhas rugas e meus cabelos brancos com todo o orgulho.

Por isso, recomendo que ninguém tenha medo do avanço do tempo e dos novos papéis que a vida nos apresenta. Cada um deles, como um bombom escondido dentro de um papel laminado colorido, esconde uma delícia nova para desfrutarmos. Meu desejo é que saibamos degustar cada um desses sabores, como presentes de Deus na nossa vida.

♣♦♣

O livro

O livro infantil Chumaço de Algodão trata da liberdade e da possibilidade de realizar um sonho. A história foi previamente testada e aprovada pela netinha da autora, Helena (de 9 anos). As ilustrações são de Fábio Sgroi.

Sonho

A Fantasy Books lançou o livro em português (no Brasil e em Portugal), espanhol e francês. Os recursos para a edição foram obtidos pro meio do site de financiamento coletivo Catarse, que possibilita que projetos pessoais aconteçam.

 

Silvia Regina Angerami é jornalista e escritora, avó de Helena e autora do livro infantil Chumaço de Algodão

Posts relacionados

*

Topo