Pula a fogueira, Iaiá… pula Ioiô…

Por Jorge Luiz de Souza

O arraial do avǒsidade chega com lindas fotos dos pequenos netinhos caipiras

[clique nas setas laterais da imagem para girar o carrossel]

[clique nas setas laterais da imagem para girar o carrossel]

[clique nas setas laterais da imagem para girar o carrossel]

 

► Embarcando no delicioso swing da canção junina “Pula a fogueira” – “Cuidado para não se queimar…” –, o primeiro ano do arraial do avǒsidade apresenta uma galeria de fotos de crianças na situação típica dessa grande festa popular brasileira.

Todo mundo canta, desde criancinha, as canções juninas e ficamos com a impressão de que todas são canções folclóricas. No entanto, muitas delas não são, embora os seus autores permaneçam desconhecidos para a grande maioria.

É o caso de “Pula a fogueira”, composta por Getúlio Marinho e João Bastos Filho – e não se acanhe de nunca ter ouvido falar esses nomes.

Mas… vamos às fotografias, que são muitas. Começamos com “os caipiras mais charmosos da Bahia”, como diz a vovó Nena Álvares, que enviou a foto dos gêmeos Maria Alice e João Marcelo, de 8 anos.

A vovó Flávia C. V. Moraes enviou a foto da neta Joana. A vovó Zeneide Reis enviou a foto do vovô Luís Antônio com o netinho Pedro Luiz no colo. E a vovó Matilde Passos de Oliveira enviou várias fotos da festinha da escola do neto Miguel Passos, com a mamãe dele, Rose Rocha, o papai e a amiguinha Clarinha.

Fogueira com conforto e segurança

Já o fotógrafo profissional Roni Sanches, de São Paulo, preparou cenários inspirados nas festas juninas para fotografar bebês em ambientes de conforto e segurança, e nos oferece uma amostra do seu trabalho.

E temos ainda a fotógrafa Karina Penido Rosa, que já frequentou esta galeria e agora nos apresenta mais três fotos da festa junina do ano passado no colégio Magnum Buritis, de Belo Horizonte (MG).

Você já sabe, mas não custa repetir as festas juninas preserva os costumes com riqueza de detalhes como em nenhuma outra manifestação popular no país. Tudo é típico: a decoração de bandeirinhas coloridas, a fogueira; as canções, o sempre presente acordeon; a dança típica – a quadrilha; e muitas comidas típicas, principalmente as feitas com milho, que na maior parte do Brasil está pronto para se colhido, ainda verde, em junho.

No Nordeste no Brasil a tradição é muito mais forte, com as festas tomando ruas e praças das cidades e uma movimentação comparável à que acontece nas outras regiões brasileiras na época do Natal, inclusive com troca de presentes.

A festa junina é também conhecida como Festa de São João e não há nenhuma região do Brasil em que ela não aconteça. Pela enorme semelhança, é provavelmente originada nas Festas dos Santos Populares, da região Norte de Portugal, que compreendem a Festa de Santo Antônio, a Festa de São João e a Festa de São Pedro e São Paulo.

Também são grandes as semelhanças de festividades que acontecem em outros países europeus, mas é bom lembrar que lá as estações do ano são o contrário das nossas no Brasil e eles comemoram o solstício de verão, que acontece no hemisfério norte no dia 20 ou 21 de junho, mas, mesmo com calor, também fazem fogueiras.

Acompanhe a cantoria

 

Pula a fogueira
(autores: Getúlio Marinho e João Bastos Filho)

Pula a fogueira Iaiá,
pula a fogueira Ioiô.
Cuidado para não se queimar.
Olha que a fogueira já queimou o meu amor.
Nesta noite de festança
todos caem na dança
alegrando o coração.

Foguetes, cantos e troca
na cidade e na roça
em louvor a São João.
Nesta noite de folguedo
todos brincam sem medo
a soltar seu pistolão.
Morena, flor do sertão,
quero saber se tu és
dona do meu coração.

(Post publicado originalmente em 17 de junho de 2016)

Jorge Luiz de Souza é jornalista, editor do portal avǒsidade e também avô de cinco crianças que já sabem cantar as músicas das festas de São João

Posts relacionados

*

Topo