Sofia e a livraria Lello

Lello
Muito bem acomodada em uma poltrona de leitura na livraria Lello, Sofia esquece o mundo ao redor e viaja nas asas da imaginação

Por Elisabete Junqueira

  O mundo que cabe nos livros para leitores de todas as idades

  Sinto uma grande alegria quando conto estórias para os meus netos. Acredito que a sensação de contá-las, me remeta à infância quando tinha o privilégio de ouvi-las narradas com extremo esmero pela minha avó materna. Lello

Quando aconteciam os encontros para contação de estórias da minha avó com seus muitos netos, eu sempre me acomodava no melhor lugar possível para não perder um nenhum detalhe.

Sentia o coração acelerado com o infortúnio das princesas ou quando tinha algum animalzinho machucado. A espera por um final feliz, que sempre acontecia, era cercada de “medo bom”, por mais que a estória já tivesse sido contada muitas vezes e conhecêssemos “de cor e salteado” o final delas.

Agora, quando eu conto estórias para os meus netos, relembro as que ouvi na infância. Tem ainda as inventadas por mim. Estas são sem pé e cabeça mesmo, e pasmem – eles adoram!

Também faço muito sucesso simplesmente lendo livros infantis, que muito me encantam.

Assim como acontecia na minha infância, meus netos adoram as estórias da vovó.

Hoje vou apresentar a vocês um desses meus diletos ouvintes. Sofia é a primeira menina da minha vida, porque não tive irmãs nem filhas.

De temperamento forte e com muita personalidade, ela é encantada por livros e estórias desde muito pequena. Quando tinha só um aninho de vida, já buscava os livros ilustrados do irmão mais velho para que eu contasse para ela. E de lá para cá o seu entusiasmo pelos livros só aumenta.

A lenda do menino Jesus Lello

No final de ano, resolvi contar a lenda da fuga do menino Jesus para o Egito. Herodes, o rei maltratava as crianças, entrou na estória.

Cheia de lances emocionantes, a narrativa desbancou o Papai Noel e suas renas, que, por mais que trouxesse presentes, não trazia aventura, emoção e superação.

Preocupada, tentei atenuar a figura terrível que era Herodes, mas Sofia me saiu com a seguinte tirada: “Vovó, estória que não tem malvado não tem graça. Sem malvado não tem estória”.

Na livraria Lello

Nossos passeios prediletos são pelo mundo da literatura. Uma vez, ela me levou para conhecer a livraria Lello, na cidade do Porto, em Portugal. Para quem não conhece, a livraria Lello é considerada uma das mais bonitas do mundo.

É uma verdadeira atração turística, em um magnífico edifício neogótico do início do século XX, e tem um acervo incrível de títulos e autores.

Para Sofia, é como entrar num paraíso particular. Chega com desenvoltura, busca um livro na seção infantil e começa sua viagem imaginária.

Assim como a pequena Sofia, todas as crianças têm grande interesse pelos livros e pela literatura. Acredito que nosso papel como avós passa por essa tarefa: ler para as crianças, desde pequenininhas.

Sabe o melhor dessa história? Além de entreter, divertir e ensinar, vamos contribuir para formar cidadãos com capacidade crítica, e consequentemente construir um mundo melhor para todos.

[foto: Ana Gabriel]

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

E mais…

Veja também no portal avŏsidade:

Por uma maternidade mais leve

Vovó Virginia Lucia e seus ensinamentos

Meu pequeno torcedor

Aprendendo a ser avó…

Para gostar de ler

Caruru no dia de Cosme e Damião

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.
♠ ♣
Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Acompanhe o portal avŏsidade também no Facebook!

 

Elisabete Junqueira é fundadora do portal avŏsidade e avó Mateus, Sofia, Rafael, Natalia, Andrew e Thomas

Posts relacionados

*

Topo