BuZum, o teatro que cabe dentro de um ônibus

A magia da apresentação começa quando o espectador sobe a escada e percebe que não é um ônibus comum, mas sim uma plateia escura

Por Natália Pesciotta

► Ônibus adaptado já rodou 200 mil quilômetros de Norte a Sul para levar peças a lugares sem teatro, principalmente para alunos da rede pública. Agora, ele estaciona em parques paulistanos

Apenas dois atores, efeitos de luz e som são capazes de criar uma floresta dentro de um ônibus, com botos que nadam, onças que espreitam, jacarés, macacos, piranhas, curumins e pajés.

Se não pode acreditar, vá conferir no BuZum! – uma companhia de teatro sobre rodas que, até o fim do ano, estacionará em parques paulistanos com a peça Filhotes do Brasil.

Beto Andreeta, Mari Gutierrez e Jackson Íris, que se conheceram pelo grupo Pia Fraus, inventaram um ônibus-teatro seis anos atrás.

Desde então, a BuZum! já rodou 200 mil quilômetros por todos os cantos do Brasil, do Maranhão ao Rio Grande do Sul, levando as 8 peças de teatro de boneco do grupo a 400 mil pessoas, principalmente alunos do ensino público.

A ideia segue os passos do grande dramaturgo e bonequeiro espanhol Federico Garcia Lorca, com suas andanças e apresentações de teatro de bonecos itinerantes no começo do século 20. Mas, dessa vez, motorizados.

“Temos como objetivo principal levar teatro para cidades onde não tem teatro”, diz Mari Gutierrez, diretora de produção, em entrevista para o portal avǒsidade.

Bonecos

O próprio grupo, que hoje já conta com mais de 30 pessoas, entre motoristas, técnicos de luz e som, atores e produtores, desenvolveu o primeiro ônibus do tipo no Brasil, quiçá no mundo, conta Mari.

Atualmente são três veículos, que podem se apresentar ao mesmo tempo em lugares diferentes. Eles mesmos também produzem os roteiros e encomendam a artesãos os próprios bonecos.

No caso da peça sobre animais da Amazônia, os personagens manipulados pelos atores são feitos de materiais orgânicos, como palha, corda, cabaças e buchas vegetais.

O BuZum! costuma se apresentar em escolas públicas de pequenas cidades, ou nas periferias das cidades grandes, com o patrocínio de empresas, por meio da Lei Rouanet.

Até o fim de dezembro, o 4° Prêmio de Teatro Zé Renato, do município de São Paulo, financia o espetáculo Filhotes do Brasil nos parques. Para quem mora na cidade, é uma boa oportunidade ainda de conhecer os espaços municipais.

A magia da apresentação começa quando o espectador sobe a escada e percebe que entrou não em um ônibus comum, mas sim numa plateia escura e refrigerada, de frente para um palco.

Depois, quando a apresentação começa, é possível até esquecer que se está num parque paulistano, ou na frente de uma escola, e viajar para outros mundos.

Animais

Um jacaré chega a tentar comer parte do público e uma onça se esconde atrás dele, para diversão dos pequenos.

Ao fim de uma das sessões do último fim de semana, no Clube Tietê, o portal avǒsidade conversou com Taciana do Espírito Santo, de 15 anos, e sua mãe Ana, que garantiram que não apenas as crianças aproveitam o espetáculo.

“É muito bonito e divertido. Fala coisas importantes para todas as idades”, comentou a garota. O ator Dinho Weller brincou: “A gente vê muito adulto que vem trazer o neto ou o filho, mas que está doido para assistir”.

Para ele, é bom se apresentar para todo tipo de público: seja para as famílias nos parques, quando pais, filhos e avós curtem juntos, seja para os grupos de escola, em que os olhos de muitas crianças brilham ao ver um teatro pela primeira vez.

Ah, e é bom avisar também: quando a peça termina, a brincadeira pode estar só começando. É que cada espectador ganha o seu próprio teatro de bonecos de papel, para destacar os personagens e criar histórias. Outra diversão para as crianças de três a 103 anos.

 

Serviço:

Filhotes do Brasil, de Beto Andreetta, dirigido por Wanderley Piras e Adriana Telg (duração: 20 minutos)
BuZum! nos Parques
Horários das seções: 10h, 11h, 12h, 14h, 15h, 16h

Veja onde estaciona a cada fim de semana:

19/11 e 20/11
Ceret – Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador
Rua Canuto Abreu, s/ n°, Tatuapé

26/11
Instituto Butantã
Av Vital Brasil, 1500, Butantã

27/11
Parque do Carmo
Av. Afonso Sampaio Souza, 951 – Itaquera

3/12
Ceret – Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador
Rua Canuto Abreu, s/nº, Tatuapé

4/12
Instituto Butantã
Av. Vital Brasil, 1500, Butantã

10/12
Centro Esportivo Tietê
Av. Santos Dumont, 843, Armênia

11/12
Parque do Carmo
Av. Afonso Sampaio Souza, 951, Itaquera

17/12 e 18/12
Parque Vila Guilherme – Trote
Av. Nadir Dias de Figueiredo, s/n, Vila Guilherme

► Saiba mais sobre Filhotes do Brasil e outras histórias do BuZum! no site: www.buzum.com.br

 

Natália Pesciotta é jornalista paulistana, a sexta neta do Seu Nelson e a terceira de Dona Ushi

Posts relacionados

*

Topo