Espantaxim, para talentos muito precoces

As inscrições de um dos principais concursos literários vão até o dia 15 de junho e aqui vão todas as dicas para quem quiser participar

Por Jorge Luiz de Souza

► Faltam poucos dias para se encerrarem as inscrições, mas ainda dá tempo para os talentos literários precoces tentarem abiscoitar um dos principais concursos literários para a infância brasileira, o Prêmio Espantaxim deste ano. As inscrições vão até o dia 15 de junho e aqui vão todas as dicas para quem quiser participar.

O prêmio é concedido de dois em dois anos e foi criado pela escritora, compositora e avó Dulce Auriemo, que passou a se envolver com o universo infantil quando teve os primeiros dos seus oito netos. Podem se inscrever crianças de 7 a 12 anos, e a premiação é feita por faixas etárias: uma faixa de 7 e 8 anos, outra de 9 e 10 e a terceira de 11 e 12 anos.

O tema deste ano contrasta com os anos anteriores e foi inspirado na situação delicada da política e da economia: “Brasil, gigante pela própria natureza”. Segundo a criadora do concurso, esse tema visa despertar nos pequenos escritores os sentimentos de patriotismo e cidadania, além de incentivar o interesse pela literatura e a escrita.

O nome do prêmio vem do projeto cultural “Espantaxim e o Castelinho Mágico”, criado em 2002 e especialmente dedicado às crianças em fase de descobrir o universo à sua volta. O Projeto Espantaxim não tem fins lucrativos e toda a sua renda é revertida para ações solidárias e beneficentes para instituições selecionadas pelos dirigentes do projeto.

Para participar, a criança pode escolher em três tipos de trabalho de criação: uma mensagem de cinco linhas (há uma conveniente tolerância para mensagens de até sete linhas), uma redação de no máximo 30 linhas; ou uma poesia também com no máximo 30 linhas. Mas, atenção: terão de se referir ao tema do ano. Cada criança só pode inscrever uma obra e a participação é gratuita.

Não falta muito tempo, mas ainda dá para a criança escrever com calma, em casa ou na escola, com o apoio dos professores (há algumas dezenas de escolas engajadas nesse concurso que estão estimulando seus anos a participar). O texto tem obrigatoriamente de ser manuscrito (pode ser a lápis ou caneta) e escrito pela própria criança – ou seja, não é possível inscrever texto digitado.

Bem, os prêmios são singelos – um belo troféu, livros, CDs e brinquedos, mais a publicação dos textos premiados, e isto é feito com toda a pompa. Serão escolhidos três vencedores na categoria Mensagem; três vencedores na categoria Redação; três vencedores na categoria Poesia; e três vencedores em Destaque em criatividade, sendo um prêmio para cada faixa etária, somando 12 crianças premiadas.

Mas o total de agraciados é bem maior porque os 100 melhores trabalhos serão incluídos na publicação de uma antologia, o que significa que cada edição o concurso revela 100 pequenos escritores que poderão se tornar futuros grandes autores brasileiros porque já começam desde cedo tendo um trabalho publicado em livro.

As escolas que se empenharem também ganham. As três escolas que tiverem mais alunos selecionados para compor a antologia também receberão um troféu cada uma. Existe um “Portal do Professor” (ver detalhes abaixo), que oferece dicas, informações e curiosidades sobre o tema do Concurso e outros assuntos afins.

Para se inscrever, basta entrar no site do concurso [www.espantaxim.com.br] e baixar um formulário, que deve ser impresso em papel branco. No site há toda a orientação para participar e também é possível acessar o regulamento completo.

Esta já é a quarta edição do concurso. Da última, o tema foi a música e como ela está presente na vida da criança. Foram inscritos 1.930 trabalhos de 13 estados brasileiros. . “O importante é que as crianças compreendam a relevância do tema e possam expor livremente suas ideias”, diz a criadora do prêmio, Dulce Auriemo.

vǒ-brinca-41-Espantaxim-(770x917)

 

Serviço:
Site do projeto: www.espantaxim.com.br
Portal do Professor: http://www.espantaxim.com.br/images/stories/IVconcurso/portaldoprofessor.pdf

 

Jorge Luiz de Souza é jornalista, avô e editor do portal avǒsidade

Posts relacionados

*

Topo