Habilidade do vovô é contar histórias

Para o neto Dudu, Orlando é o vovô sabe-tudo, o contador de histórias, o vô preferido e muitas mais coisas que ele conta nesta entrevista

Por Elisabete Junqueira e Jorge Luiz de Souza

● Entrevista com o publicitário Orlando Marques

 

Mineiro de Juiz de Fora que fez uma carreira destacada no mercado publicitário em âmbito nacional, Orlando Marques, de três anos para cá, exerce principalmente uma nova habilidade: ser avô. Ele não pendurou as chuteiras, não. Mas hoje em dia, ao contrário do que sempre fez na vida, não troca mais o convívio familiar por uma reunião com o cliente mais importante ou o prospect mais ambicionado.

 

O vovô Orlando continua sendo o publicitário Orlando na maior parte do horário de expediente, e acumula um cargo de alta direção da Centria Capital Partners, uma empresa de assessoria de investimentos para grandes capitais, e a presidência da principal entidade do ramo da propaganda no Brasil, a Associação Brasileira de Agências de Propaganda (Abap), com mandato recém renovado.

Ele foi por muitos anos o CEO no Brasil do maior grupo de comunicação de todo o mundo, a Publicis/Omnicom. Antes disso, foi o diretor comercial de alguns dos principais meios de comunicação do país, como o jornal O Estado de S. Paulo e as revistas Veja e Exame.

Mas o que interessa nesta entrevista são suas histórias como avô de Dudu. Aliás, segundo o neto, a expertise do avô é contar histórias.

Para o avǒsidade, ele confessa que, pelo neto, chega quase ao limite da irresponsabilidade e é capaz até de, como bom mineiro, contar uma mentira para cancelar um compromisso profissional que esteja em conflito com a atenção ao querido neto. E se emociona ao contar que aprendeu a ser avô com os seus próprios avós.

A seguir, uma seleção de vídeos com os principais trechos da entrevista.

 

Contador de histórias

A habilidade do vovô, segundo o neto de três anos, é contar histórias

“E aí as minhas filhas acham…

…minha habilidade é contar histórias.”

 

Vovô sabe-tudo

Quando quer saber qualquer coisa, sempre pergunta pro avô

“Eu conto histórias…

…o que é um colibri.”

 

Avô preferido

A felicidade de sentir o amor do neto manifestado francamente

“São dois avós…

…não é casada ainda.”

 

Intensidade maior

A perspectiva do tempo faz o amor de avô ser mais intenso

“Vou falar um pouco pela minha lente…

…a intensidade eu acho que é maior.”

 

Avô não estraga

Cuidado para não ensinar nada de errado para o neto

“E outra coisa…

…não fui eu, ah, ah.”

 

Bronca da filha

Sem liberdade para sair sozinho com o neto pequeno

“Teve um lance…

…a babá ou alguém.”

 

Lembrando dos avós

Xodó do avô porque foi o primeiro a herdar o nome

“Ah, eu não sei dizer se…

…isso me emociona.”

 

Presente inesquecível

Depois da bronca, o afago do avô para sempre lembrado

“Eu lembro de uma vez…

…isso é inesquecível.”

 

Bichos e natureza

A alegria do avô de apresentar o ambiente rural para o neto

“Eu levo o Dudu…

…animais e natureza.”

 

Quase irresponsável

O que um neto muda nos hábitos, antes rígidos, do vovô

“Talvez o que tenha mudado…

…isso, com certeza!”

 

Ficar mais leve

Tempo com neto é recompensa por ter trabalhado muito

“Torçam, rezem e queiram netos…

…não é mesmo!”

 

Elisabete Junqueira e Jorge Luiz de Souza são fundadores do portal avǒsidade e avós de Mateus, Sofia, Rafael, Natalia e Andrew

Posts relacionados

*

Topo