No Dia dos Avós, brincadeiras das antigas

Trocar energia com a terra não é papo de exotérico coisa nenhuma; criança precisa de pisar descalço na grama, na areia, e até na lama

Por Jorge Luiz de Souza

► Pode até servir como propaganda de uma marca de detergente, mas ninguém vai negar que a ideia é boa. A marca de sabão para lavar roupas Omo retoma a campanha “Se sujar faz bem”, para estimular as crianças a brincarem fora de casa, aproveitando o Dia dos Avós, nesta terça-feira, 26 de julho. E as brincadeiras das antigas recheiam o cardápio de sugestões.

Conteúdo comercial à parte, reequilibrar a rotina das crianças é uma preocupação de todos os pais e avós, que ficam calculando o quanto, a cada geração, as crianças brincam menos ao ar livre. E o grupo empresarial Unilever, do qual o patrocinador da campanha faz parte, tem uma pesquisa feita em dez países que mede com contornos científicos o que a observação de todos sugere.

Então, vamos às sugestões para os avós brincarem com os netos. Um bom começo é o avô contar para os netos memórias de família. Não chega a ser uma brincadeira que vai aumentar o consumo de detergente, mas vai enriquecer a memória em formação dos netinhos ouvir histórias engraçadas sobre a família que os gerou.

As ideias do Omo começam a se revelar: o neto pode desenhar junto com seus avós uma grande árvore, depois eles desenham as folhas e, em cada uma delas, colocam os nomes dos parentes, com os nomes do vovô e da vovó lá no alto da árvore.

Omo-770x404

Outra brincadeira que vem nesse pacote de sugestões é o vovô e a vovó colocarem em prática seus dotes culinários, mas colocando a criançada para ajudar. Além de ser uma ótima maneira de passar mais tempo com as crianças, os avós são desafiados a manter viva a tradição culinária da família, se é que ainda sobrevivam segredos de família na cozinha.

A próxima sugestão eu mesmo já brinquei com meus netos e eles adoraram: o Passa Anel. Sabe como é? Siga a instruções dos especialistas:

– Peça para a vovó segurar um anel e faça uma fila indiana com os participantes;

– Todos fazem uma concha com as mãos, assim como a vovó, que está com o anel entre as mãos;

– A vovó deve passar a mão em formato de concha por dentro das mãos de todos os netos, mas deixar o anel cair discretamente nas mãos de um deles;

– Então a vovó escolhe um dos netos que não ficou com o anel para tentar adivinhar quem o está segurando;

– Se o neto acertar, é a vez dele passar o anel. Se não acertar, quem ficou com o anel será o próximo “passador”.

Voltando mais uma vez para brincadeiras que sujam a roupa mas limpam as alminhas dos netinhos, a sugestão é a vovó ou o vovô capricharem no seu talento artístico e chamar os netos para que eles juntos façam um quadro de pintura a guache. Dá sempre uma bagunça das boas!

 

Jorge Luiz de Souza é jornalista, editor do portal avǒsidade e avô de cinco crianças pequenas, mas, quando está com elas, ele é criança também

Posts relacionados

*

Topo