Vovô, de onde vêm os bebês?

Bebês
Vovô fica todo embaraçado com as perguntas insistentes da netinha Liz, mas, calma, isso é só imaginação de vovô de primeira viagem

Por José Lopes Agulhô Junior

Segundo texto de uma série escrita pelo avô para a neta em gestação

Vovô, de onde vêm os bebês?

– Essa é uma boa pergunta pra você fazer para a sua mãe, Liz.

– Não, vovô. Você mesmo pode responder.

– Você não prefere catar pulgas na Zuca?

– Não, vovô. Responde!

– Vamos viajar pra Lua de balão?

– Não vovô, para… Responde… De onde vêm os bebês?

– Vamos comprar uma camisa do ‘Galo’, Liz?

– Pra quem?

– Pra quem você quiser…

– Pra você, vovô.

– Qual é a pergunta mesmo, Liz?

– De onde vêm os bebês?

– É o seguinte… Ô, Liz, você não quer mesmo perguntar à sua mãe?

– Não. Eu quero que você responda…

– Por que você quer saber isso e agora?

– Hoje é dia 18, né, vovô? E a Dinda foi ao médico e ele falou que está tudo bem com o bebê dela…

– Não é maravilhoso, Liz? A Dinda vai ganhar um neném!

– Pois é. De onde ele vem?

– Quem? O médico?

– Vovô, você quer parar de me enrolar e dizer logo…?

– Eu não estou te enrolando não, Liz… É quê…

– Você não sabe, vovô?

– Saber eu sei, mas…

– Então fala logo, ora.

– Quando a gente vira adulto, a gente conhecesse uma pessoa e quer muito passar a vida toda com ela…

– Vovô, não enrola.

– Não, Liz. Tenha paciência comigo. Eu estou te respondendo…

– Hum…

– Aí a gente namora, fica junto e até casa.

– A Dinda é adulta?

– É, Liz.

– O tio Lindinho também?

– E eles se encontraram, ficaram juntos e se casaram.

– E daí?

– Daí que eles resolveram que deveriam mostrar pra todo mundo como eles são felizes por estarem juntos e que essa felicidade deveria ser um neném.

De novo bebês

– Vovô, de onde vêm os nenéns?

– Da felicidade, Liz.

– Se eu ficar feliz eu vou ganhar um neném também?

– Não.

– E porque não?

– Porque você não é adulta, ora.

– Mas porque só os adultos podem ficar felizes?

– Não, Liz. É que crianças como você não podem fazer um monte de coisas ainda…

– Que coisas?

– Trabalhar, dirigir carro, sair sozinha…

– Vovô, puxa… Eu só te perguntei de onde vêm os bebês.

– Eu já te disse, Liz. Da felicidade.

– Então eu vim da felicidade da mamãe e do papai?

– Sim.

– Vovô, o que é transar?

– Hein???!!!

– É que um menino lá da escola falou que os bebês vêm depois que o papai e a mamãe deles transam…

– Viu Liz? Por isso que eu te disse que você deveria perguntar pra sua mãe…

– Para o papai eu posso perguntar?

– Acho que não…

– E por que não?

– Porque ele vai dizer que os bebês vêm da felicidade.

Até breve.

O autor escreveu 41 “diálogos hipotéticos” com a neta ainda em gestação, entre a data do primeiro ultrassom e o nascimento dela, em 2012. Este é o segundo texto dessa série publicado aqui no portal avŏsidade. E outros serão publicados brevemente.

Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então.

Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então. Então.

E mais…

Veja também no portal avŏsidade:

A distância entre mim e minha neta

Tecnologia ajuda o vovô

Parece que foi ontem…

Meu pequeno torcedor

A magia das histórias

Ser avô é amar incondicionalmente

Minha neta predileta

Então. Então. Então. Então. Então. 

Então. Então. Então. Então. . Então

Acompanhe o portal avŏsidade também no Facebook!

 

José Lopes Agulhô Junior é psicólogo, consultor, ex-executivo de grandes empresas e ex-professor no Ibmec e na Fundação Dom Cabral; também é avô de quatro netos: Liz, Valentin, Antônio e Helena

Posts relacionados

*

Topo