Anjos em forma de gente

Apaixonada, a autora diz que quando os avós “viram estrelas, é chegado o momento de agradecer pela sorte de ter convivido com eles”

Por Ingrid Bárbara

► Avós parecem que já nascem avós. Estava olhando para a minha vó ontem à tarde e comecei a imaginar como ela era na minha idade. Quais eram os papos com as amigas, como foi o primeiro beijo, as festas, os sonhos. Mas fiquei na minha, não perguntei. Prefiro crer que ela já nasceu avó.

Acredito que esse lance de ser avó(ô) seja vocação, sei lá. Só sei que eu tive sorte. Fui paparicada a vida inteira pelos meus. Ao lado da minha casa, lá no interior da Bahia, tinha uma padaria. Imagina só, sonho de toda criança. Todas as minhas moedinhas eram convertidas em “Big Big”, que na época custava 5 centavos. “Vovoinho, me dá uma ‘niquinha’?”. E sem pensar, ele colocava a mão no bolso e retirava algumas moedas.

Todo dia era assim. Sem reclamar, sem fazer cara feia, atendia todos os meus pedidos. “Minha vó, que vontade de comer tal coisa”. E lá ia ela buscar, preparar, mandava pegar em marte se preciso fosse. Mas o meu pedido era atendido. Até hoje é assim. Nunca gostei da minha cama, cama boa mesmo era a dos meus avós.

Ingrid-mãos-770x616

Dormia lá todas as noites, o lugar mais seguro do mundo. E mosquito nenhum se atrevia chegar perto, ela passava a noite espantando-os do meu ouvido. Às vezes eu ainda nem tinha pegado no sono e via que ela acordava para ver se eu estava embrulhada direito.

O meu avô já virou estrela. Vez em sempre a saudade bate e eu rezo para que a gente se reencontre um dia. A minha avó, graças a Deus, continua ao meu lado. E apesar dos meus 20 e tantos anos, ainda me liga, todos os dias, para saber se eu já comi. Se eu pudesse inventar uma lei universal, não tenho dúvidas que seria essa: avós devem viver para sempre!

É uma piada sem graça essa história que eles podem nos deixar a qualquer momento, logo eles que fizeram todas as nossas vontades, logo eles que fizeram os nossos pratos prediletos, os lanches mais gostosos, o denguinho que ninguém sabe fazer igual.

A casa dos nossos avós tem perfume, tem aconchego, tem cheiro de café no fim da tarde. O abraço deles é diferente, tem afeto, tem proteção, tem gostinho de quero mais. São anjos que Deus coloca disfarçados de gente para cuidar da gente. Como somos sortudos! Os netos crescem, criam asas, voam pelo mundo e eles continuam sempre ali.

O tempo às vezes não colabora e eles vão ficando cada dia mais frágeis, o som do chinelo cada dia mais arrastado no corredor, os reflexos não são os mesmos, mas a disposição para nos agradar permanece. Como nos despedir de seres tão especiais? Como dizer adeus? Como não desejar um último abraço, um último bate-papo no fim da tarde?

É triste, dói, o nó na garganta é inevitável. Mas têm coisas que estão além do nosso entendimento. E quando eles viram estrelas, é chegado o momento de agradecer pela sorte de ter convivido com eles e rezar para que estejam num lugar iluminado e cheio de conforto. No final das contas, fica uma saudade boa.

 

Ingrid Bárbara é uma baiana sonhadora que resolveu se aventurar em São Paulo, formada em Rádio e TV, 29 anos, e apaixonada por seus avós

Posts relacionados

18 Comentários

  1. Sonia Moreira said:

    Me tornei vovó há pouco, mas quero ser essa avó de todos os momentos, de todas as horas. Vou seguir o exemplo de minha mãe, que é uma avó dos sonhos.

  2. Maria Rita Cardoso said:

    Adoro ser avó, parece que nasci pra ser vovó. Amo meus netos. Se preciso for, irei à Lua por eles, João Rafael e Matheus Felipe Cardoso.

  3. Sueli Magri said:

    Eu adoro meus netos eles são meus amores minhas delícias. Faço exatamente tudo q eles me pedem…adoro o cheiro o riso o Abraço a bagunça q fica em casa. ..Eles vão embora e a bagunça eu arrumo em menos de 15 minutos
    Eu sou a vovozinha do texto…Bem assim…e qdo eu virar estrela. ..Vai demorar. ..Mas qdo eu virar eu vou ser a mais brilhante e eles vão lembrar com muito carinho dessa vovo maluquinha q os amou Até o último suspiro.

  4. Ivone Gusmão said:

    Ainda não era mãe e ja pensava em ser avó ja imaginava uma boquinha desdentada me chamando de vovó.Graças a Deus pela vida de Brenda ,Victor,Matheus,Lucas,João e Mariana os mas lindos e gostosinhos da vovó.

  5. angela Maria Trombetta said:

    Vivi a vida toda com meus avós e pais , mas eu e ela tínhamos uma ligação sem fim.Ao casar fui dormir com ela afinal ia embora e só a encontraria a dez dias depois.Ela já estava doente , por isso fiz questão de casar .Ela se foi em maio uns dias antes do dia das mães.Meu amor por ela era doentio , acordava de madrugada chorando muito meu marido teve uma paciência comigo sem igual .

  6. Orieta said:

    Adoro ser avó! Que sentimento gostoso é este! Sou muito grata a Deus pelo dois netos que ele me deu: Afonso Herminio e Yasmin.

  7. angela said:

    Sou tia bisavó… Lindo texto… Atualmente, essa geração tecnológica, não usufrui desse aconchego. Mas uma boa notícia: a Bíblia ensina que os mortos serão ressuscitados e viveremos para sempre! Salmo 37:29; Atos 24:15; Apocalipse 21:4

  8. Dora Caldas said:

    Bimbim, querida! Vc me fez chorar!!! Afinal, sou avó. E me sentí homenageada nas suas palavras para sua voinha! Parabéns, minha linda! Vc mora no meu coração.

  9. Durce Costa said:

    Ser avó é ser avó e nada mais. Fomos feitas para isto, sentimentos dobrados, tudo é a mais para os netos, não medimos esforços para agradá-los. Sou uma avó em tempo integral, muitas vezes meu marido diz que eu não vivo a minha vida, que vivo a vida dos meus netos. Não sei se conseguiria fazer mais nada sem a presença deles ao meu lado. Pra mim, ser avó é tudo de bom.

  10. Solange said:

    Sou avó coruja sim!
    Amo minhas netas, minhas 3 Marias, elas são tudo para mim.
    Agradeço à Deus por tamanha benção em minha vida.

  11. Luiza Duarte said:

    Que texto bem lindo e emocionante!!!
    Sou sim uma vovó bem coruja e Amo Muito os meus netos! São cinco! Sendo que duas netinhas, junto o vovô, .. participamos muito do seu crescimento e cuidados, desde belezinhas! Hoje elas estão com 6 e 4 anos, e no momento morando bem longe, e vai ser por dois anos! Nem preciso falar da saudade imensa q existe! Mas em agosto de 2018, com a graça de Deus, elas voltam!!! E tenho mais 3 netinhos, um menino e duas meninas q não moram na mesma cidade, mas aqui no Brasil! Aí fica mais fácil! Esses netinhos são recentes, foram um grande presente q recebemos da filha e da nora, em março de 2016! Uma bençao de Deus com certeza! E o vínculo ainda está em formação, mas que também já amamos com todo o coração! E a melhor coisa do mundo que eu podia receber de Deus e da Vida foram esses 5 tesouros, e tomara que eu passe pra eles algo, se não igual, parecido com o que esses avós da Ingrid passaram e passam!!! Lindo sentimento de neta maravilhosa!!!❤

  12. Mary anm said:

    Ser avó, para mim, é um estado de espírito… É a elevação da alma aos céus!!!!
    É comer o docinho comprado especialmente para elas. Sem ter hora para comê-Los. O bom é adoçar a boca… a vida…
    Delícia é ouvir os passinhos e as doces vozes entrando aqui em casa.
    Tudo pega cor, graça, desperta…
    O fogão se acende e de lá vem um cheirinho bom.
    Comida de vovó, suco de vovó.
    E as bonecas saem das caixas, a bola pula, a casinha abre a portinha, cartinhas e lápis dão formas LINDAS nos papéis!!!
    Que vida boa…
    Quando saem, tudo murcha…
    E eu vou colocando as coisas num minutinho em seus lugares.
    Até chegar outro dia. Feliz.

  13. CARLA said:

    Tudo tocante a avós e netos me emociona demais.
    Fui muito amada por meus avós…
    Do pouco que me lembro de meu avô paterno, era quando todas as manhãs eu ainda bem pequena me levava para pegar o sol da manhã no quintal de casa. E quando ele já doente, deitado na rede lendo livro de bolso e fazendo cafuné na gente.
    Minha avó materna perdi ainda criança, fui a primeira neta dela, andava com ela para todo lado, vivia na barra de sua saia, deitada em sua cama, enfiada em suas costuras, ela tinha cheiro de açúcar com canela (dos bolinhos de chuva e das bananas fritas com salpicadas com a especiaria).
    Meu avô materno, queria ser um pouco mais durão, mas conosco, os netos não conseguia.
    Com minha avó paterna aprendi a multiplicar amor. Casa sempre muito cheia de filhos, noras, genros, netos, netas, bisnetos e bisnetas e até tataranetos.
    Em 2016 perdi minha última querida,
    minha avozinha que cuidei até o último minuto.
    Com eles aprendi a essência do que é ser avó. E sou avó de um menininho fofo! Meu amor! E exercito com ele tudo que aprendi de amor, de amar e ser amada.

  14. Ioneide Ramos said:

    Meu sonho foi ser avó, demorou um pouco. Fui ser avó de gêmeos prematuros com a idade de 57 anos… mas tá sendo a coisa mais maravilhosa e divina na minha vida. Eles têm me dado vida. Meu esposo faleceu, tinha 11 meses do seu falecimento… uma tragédia. Perdi meu filho caçula, filho amado, o mais novo. Foi e está sendo difícil, mas meus netos estão dando vida, cor, alegria e forças pra recomeçar e Deus tem abençoado. Eles são a alegria da nossa família.

  15. Nilda Maria Nadcimento de Melo said:

    Amo ser avó, e nunca senti um amor tão grande como em ser avó. Tive a certeza de que Jesus me ama depois de ser mãe, e ratifiquei esse sentimento depois que fui avó. Minha vida mudou em tudo, pra melhor. Obrigada, meu Deus!

*

Topo