Ter netos é ainda melhor do que ter filhos

Melhor
Vovô Paulo César com a filha Diana e suas três meninas Catarina, Teresa e Heloísa, a caçula, que vivem do outro lado do mundo

Por Paulo César Faria

 Feliz da vida, avô desfruta meia dúzia de motivos para viajar

Ter netos é, normalmente, ainda melhor do que ter filhos, diz a sabedoria popular. Acho que há alguma lógica nesse pensamento.

Temos filhos quando ainda somos jovens e com menos experiência de vida. Netos, já os temos após termos criado filhos e errado o bastante para aprender. Não que avós não errem. Erram, claro. São humanos.

Mas já sabem que a maioria dos seus “erros” não tem consequências graves, que os netos não perderão os dentes por terem chupado uma balinha que o vovô deu, que o sofá sujo de sorvete de chocolate não é um mal insanável, e outros episódios correlatos.

Os avós não entram em pânico por qualquer motivo.

Já os pais, como faziam os avós quando eram só pais, verdade seja dita, às vezes perdem a calma, perdem a cabeça, perdem a razão e, no final, podem perder até a batalha.

Assim fica claro entender por que, para alguns, ser avô é melhor do que ser pai. É como se ter filhos fosse o preço que se paga para ser avô (risos contidos).

Muitos netos e dois destinos melhor

Tenho 7 netos. Na Austrália estão Catarina, com 10 anos, Teresa, com 7, e Heloisa, com 2 anos, filhas da Diana e do Guilherme. Em Porto Alegre, Antonio, com 6 anos, Francisco, com 4, e Alice, com 1 ano, filhos do Frederico e da Renata.

Em São Paulo, Rodrigo, com 10 anos, filho da Roberta e do Hugo. Rodrigo mora bem perto. Perto o bastante para não ter que fazer mala, mas longe o bastante para não ir de pijama.

Assim o vovô consegue visitar e ser visitado com frequência, recebendo o netinho para dormir, mas sem ter, ele, que dormir fora de casa.

Quando nasceu Alice, a neta mais nova, o Rodrigo, o decano dos netos, declarou solene: o time das meninas está maior do que o dos meninos. Eu não sabia que havia uma competição correndo solta.

Acho que o resultado é definitivo. Não creio que ninguém esteja pensando, nessa altura do campeonato, em equilibrar esse jogo.

Mas, pelo menos me resta uma certeza: tenho meia dúzia de motivos para viajar, 3 na Austrália e 3 em Porto Alegre.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

E mais…

Veja também no portal avŏsidade:

Bem-vindo, vírus

Avô Nicanor

A suave herança de Angela

As histórias da Vó Joanna

Complicações e molecagens

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Acompanhe o portal avŏsidade no Facebook e no Instagram!

 

Paulo César Faria é engenheiro, consultor e avô de Rodrigo, Catarina, Teresa, Antônio, Francisco, Heloisa e Alice

Posts relacionados

*

Topo