Meu pequeno torcedor

Torcedor
Mateus adora futebol, seja jogando na quadra do prédio ou acompanhando nos estádios, pela TV ou celular [Foto de Ana Gabriel]

Por Elisabete Junqueira

Netinho aprende a ler sozinho pra acompanhar o campeonato

Acho que estamos de acordo: as crianças brasileiras gostam muito de futebol! É o nosso esporte mais popular desde gerações passadas e não seria diferente com os nossos netos. Brincar com a bola é fantástico, lúdico, divertido. Ser torcedor, curtir os times e seus craques, também.

Mas o que vocês me diriam de um menininho de apenas cinco anos que sabe tudo sobre futebol? Tudo mesmo! Escalação dos times, seus escudos e bandeiras, tabela do Campeonato Brasileiro, séries A e B… E também muito sobre os grandes times do campeonato europeu e várias histórias sobre as Copas do Mundo.

Estou falando de Mateus, meu primeiro neto. Ele reinou sozinho por dois anos até que vieram os outros cinco, um após o outro, de forma bem seguidinha. Uma goleada de netos!

Vocês devem estar pensando: toda avó é coruja mesmo e acha que os seus netos são os mais bonitos, os mais inteligentes, mais isso, mais aquilo… Não me incluo fora do clube. Meus seis netinhos são preciosos.

Com Mateus, o assunto futebol é sério. A gente fica encantada de verdade. Antes de completar dois anos, ele já frequentava os estádios de futebol, é claro, levado e estimulado pelo pai.

Confesso que ficava apavorada com um bebê numa arquibancada. Enchi os ouvidos dos pais do menino com minhas mil recomendações. Pobres pais! Mateus fez o que nem os avós fizeram: ir aos jogos da Copa do Mundo, no Brasil, em 2014.

Torcedor à distância

Ele sabe tudo sobre o glorioso Esporte Clube Bahia. Nascido em São Paulo, mãe paulistana e são-paulina, Mateus, mesmo à distância, acompanha com fervor o time baiano. E como vibra o menino!

Seu passeio predileto é ao Museu do Futebol, que fica no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Acho que já o levamos lá mais de 20 vezes.

Quando tinha acabado de fazer dois anos, visitando o museu, Mateus protagonizou uma cena que emocionou a todos que estavam por perto. Ao ver a bandeira do seu time hasteada na ala de entrada do museu, cantou o hino do Bahia, que é longo, inteirinho e com muito entusiasmo.

Torcedor

Com a camisa do time do coração [Foto de Ana Gabriel (pequenosnaestrada.com.br)]

Sabe qual é o seu presente preferido? Qualquer coisa com a grife do Bahia! Já perdi a conta das vezes em que me senti completamente feliz por dar a ele de presente qualquer objeto. Pode ser uma canequinha, um chaveiro, uma escova de dentes. E, claro, os uniformes…

Bem, estou eu aqui desmentindo meu próprio discurso de que temos de ser comedidas com os presentes para os pequenos… Mas a alegria do menino é tão grande…!

Agora, as nossas conversas são sobre futebol. A Copa do Mundo já começou por aqui. Ele ficou absolutamente deslumbrado quando soube o que seu bisavô esteve presente na final Brasil X Uruguai, em 1950, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Aprender com os netos

As nossas fantásticas vitórias, nos outras mundiais, também são conhecidas dele. A copa que foi emocionante para o pai dele, que ainda menino viu o Brasil ganhar o título em 1994. É uma delas. Já contamos inúmeras vezes. Criança adora que “conte de novo”.

Ele sabe muitas histórias do Pelé e seus fabulosos gols. A vitória do Santos sobre o Boca Juniors na Copa Libertadores da América de 1963, na Bombonera, em Buenos Aires, é uma das suas favoritas.

Ainda muito pequeno para ser alfabetizado, ele começou a aprender a ler sozinho, sabem como? Interpretando a tabela do Brasileirão. É que, para distraí-lo no horroroso trânsito de São Paulo quando temos que fazer deslocamentos maiores, às vezes a solução era entregar o smartphone.

E ele ia direto para a tabela do campeonato e os vídeos de gols dos grandes craques. Assim, ele se distraía e me ajudava na tarefa de cruzar os engarrafamentos da cidade.

Agora, já praticamente dominando as letras, sempre pega o celular dos pais e me envia pelos aplicativos de mensagens os resultados dos jogos.

Agora, eu também acompanho os campeonatos do futebol. A avosidade também é aprender com os netos!

Olha lá, senhor Tite e rapazes da seleção, vamos fazer uma Copa bem bonita para encantar a todos os brasileiros e ao meu pequeno torcedor! Torcedor

Veja também esta matéria sobre o hino do Bahia e seu autor:

E mais…

 

Veja também no portal avŏsidade:

Como amar as pessoas difíceis?

Vovó Virginia Lucia e seus ensinamentos

Mais do que reviver: ressuscitar

Ser avô é amar incondicionalmente

Vó, neto e tecnologia

Com vovó, verão é bom mesmo longe da praia

 

Acompanhe o portal avŏsidade também no Facebook!

 

Elisabete Junqueira é fundadora do portal avŏsidade e avó de Mateus, Sofia, Rafael, Natalia, Andrew e Thomas

Posts relacionados

*

Topo