Páscoa, renovação, tradições e culinária

Renovação
A data também é associada à fertilidade e à fartura, e proporciona sobremesas que enchem os olhos e as barriguinhas das crianças

Por Elisabete Junqueira

Um passeio pela variedade gastronômica ao redor do mundo

A Páscoa é celebrada nessa época do ano, no mundo inteiro. Existem diferenças religiosas, míticas e até de data, cada grupo seguindo as suas tradições. Renovação.

Mas a comemoração também remete à ideia de renovação. A data coincide com a mudança de estação e o alimento tem uma papel de destaque na celebração.

Contam as lendas que os egípcios, gregos e romanos tinham a Páscoa como a festa de passagem do inverno para a primavera, que trazia com ela o bom tempo, a abundância das colheitas e a fartura à mesa.

Já para os judeus, o Pessach, que significa passagem, também simboliza a fuga do Egito em busca da liberdade e da terra prometida.

Com o surgimento do cristianismo, alguns rituais de antigas civilizações e do judaísmo foram incorporados na celebração da data, porque a Páscoa marca a ressurreição de Jesus Cristo.

E todas essas mudanças, ao longo de séculos, impactaram nos hábitos alimentares.

Comidas pascalinas

Para os judeus, as comidas pascalinas seguem um ritual, que é igual em qualquer parte do mundo, com pratos específicos e restrições gastronômicas.

Já para os cristãos, essas comidas são de celebração, e isso proporcionou o surgimento de uma enorme variedade nos cardápios de Páscoa.

Os cristão comem peixe durante a semana que antecede à Páscoa em sinal de sacrifício. Já no domingo, é mais comum o consumo de carne, especialmente de cordeiro, e grande variedade de pratos e sobremesas.

O ovo de Páscoa, presente nas comemorações em diversos países, remete à fartura, à prosperidade e à renovação da vida.

No Brasil, com sua típica multiplicidade, são praticados costumes de muitos lugares, onde se destacam os originados nas tradições do cristianismo.

A influência de Portugal é muito grande no nosso cardápio de Páscoa, e é por lá que convido o leitor a começar a nossa viagem pela culinária pascalina por alguns países que selecionei.

Portugal

O bacalhau é a estrela da cozinha portuguesa o ano inteiro. Para o domingo de Páscoa, os patrícios costumam eleger o prato “Bacalhau à Gomes de Sá”. É uma caçarola de bacalhau, batatas, ovos, cebola e azeitonas. E para a sobremesa, as amêndoas de Páscoa, cobertas com açúcar ou chocolate!

Itália

Os italianos não têm o hábito de comer bacalhau na Sexta-Feira Santa. Nesse dia, o prato principal é peixe ou a torta pascalina, feita no forno com alcachofra, arroz e ovos.

No domingo, o cordeiro faz parte do cardápio. Para adoçar a refeição, ovos de chocolate e a colomba pascal, feita com uma massa parecida com o panetone, que leva frutas, nozes e amêndoas.

Alemanha

Para os alemães, Páscoa é Primavera. Uma festa! Afinal, eles têm o alívio das temperaturas negativas e nada festivas do inverno. A palavra Páscoa em alemão é ostern, derivada do nome da deusa da primavera na mitologia dos povos do norte da Europa.

Os alemães celebram a data com ovos de galinha, que representam a renovação. Eles são cozidos e depois pintados à mão pelas crianças. Os ovos de chocolate também têm presença garantida na festa.

No domingo de Páscoa as estrelas da cozinha alemã são as osterzopf, roscas com ovos cozidos, e a osterlamm, uma massa em forma de cordeirinho.

França

Os franceses também têm o costume de comer cordeiro no domingo de Páscoa. Outro destaque do cardápio para celebrar a data é o gâteau de pâques, um bolo assado em forma de cordeiro.

Líbano

A Páscoa libanesa é doce. A estrela da festa é o maamoul, um bolinho feito com massa de semolina, água de rosas e de flor de laranjeira e pode ser recheado com nozes, pistache ou tâmaras.

Os maamouls são preparados na Sexta-Feira Santa, assados no sábado e saboreados no domingo, dia em que se prepara também um carneiro, assado lentamente por sete horas.

Peru

Seguindo a tradição católica que veio com os espanhóis, os peruanos costumam comer bacalhau ou o pescado sudado, peixe de água salgada feito no vapor. Os frutos do mar também têm destaque na mesa durante a Páscoa.

A sobremesa pode ser um suspiro limeño (doce de leite com merengue por cima e um toque de vinho do porto polvilhado com canela em pó) ou a mazamorra morada (mingau feito com milho roxo).

Tudo parece mesmo muito delicioso, difícil de escolher. O alimento da alma e do corpo está presente nessa celebração. Que a renovação da Páscoa traga notícias boas, muita saúde e tempos de bonança para todos.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

E mais…

Veja também no portal avŏsidade:

Você sabe o que é Páscoa?

A curiosa origem dos sobrenomes

El Reino Del Revés!

Lendas natalinas

Para muitos brasileiros, a independência foi em outro dia

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

Acompanhe o portal avŏsidade também no Facebook, Instagram e podcast+

 

Elisabete Junqueira é fundadora do portal avŏsidade e avó Mateus, Sofia, Rafael, Natalia, Andrew, Thomas e Cecilia Marie

Posts relacionados

*

Topo