Comportamento

Expectativas e ansiedades para ‘22

● Palavra de especialista: como lidar com o ano que vem

A autora dá preciosas dicas para combater a ansiedade típica da época de passagem de ano e elevar a autoconfiança

A pandemia de Covid-19 trouxe diversas transformações para o mundo. Modificou rotinas, trabalho, vida pessoal e fomos obrigados a nos adaptar a uma realidade de isolamento social, medo, incertezas, como também promoveu uma ampliação da consciência sobre a razão de existirmos. expectativas

Trouxemos o trabalho para dentro de nossas casas, aumentamos a convivência familiar e aprendemos a valorizar a família, assim, foi possível repensar o papel dos familiares em nossas vidas e fortalecer os laços.

As dificuldades nos convidaram a sair da zona de conforto para buscar soluções e enfrentar os desafios, estimulando a utilização de habilidades adormecidas, que de outro modo, talvez, não seriam exploradas.

Estamos no quarto momento da crise que pode ser compreendido como uma fase de reconstrução social. As pessoas começam a retomar as atividades habituais, há o retorno gradual do funcionamento das escolas, instituições e comércio, além de um menor nível de exigência de proteção contra o contágio. E vamos chegando ao final do ano.

O fim de ano traz uma grande dose de emoções. Vivemos dias intensos e carregados de significações e qualquer um, querendo ou não, se sente cercado pela data: nas redes sociais, no rádio, na televisão, nas conversas e pelas ruas e shoppings decorados e iluminados.

Nesta época as pessoas também são inspiradas a refletir sobre seu ano e a fazer balanços de suas vidas. O ano novo é um momento muito aguardado para renovar aquilo que estimula os seres humanos: a esperança de uma vida nova.

Existe nesta época uma ansiedade no ar, há conflitos pessoais e profissionais de diversas ordens e vamos encarar tudo isso dentro de uma perspectiva de que deve ser bom, ser feliz.

Excesso acaba sendo negativo

Expectativas de ano novo são possibilidades que podem ser realizadas ou não. Apesar de o ano novo carregar diversas possibilidades, em termos práticos, para algumas pessoas há uma continuidade dos dias, apenas.

Nesse sentido, as expectativas são relevantes para nos dar direcionamentos e para nos impulsionar para alguma ação para que algumas mudanças possam ocorrer e mudanças acontecem a partir de cada ato prático.

Por outro lado, o excesso de expectativas em relação ao Ano Novo acaba sendo negativo. Esses sentimentos mobilizados pelo de fim de ano, tanto os negativos quanto os positivos, podem ser canalizados de forma produtiva e utilizados para que se reveja o que a pessoa está fazendo de sua vida.

Para muitas pessoas são comuns as reformas e as grandes limpezas para que a casa fique em ordem para a entrada do ano novo. É como se nós colocássemos um limite para arrumar o que não foi feito durante o ano inteiro e diante disso a agitação aumenta.

Temos também a expectativa das férias e os níveis de estresse acabam aumentando, e muitas vezes se associam a sentimentos melancólicos e até depressivos, o importante é reconhecer que não temos a obrigação de estarmos felizes. Sentimos o que sentimos.

Motivação, esforço e persistência

Iniciar um novo ano pressupõe na vida das pessoas, aceitar novos desafios, investir em novas oportunidades, ou pelo menos, não repetir os erros do passado. Estudos revelam que expectativas positivas e ajustadas favorecem a manutenção da motivação, esforço e persistência.

Porém, não tem sido fácil, levando-se em conta as dificuldades da pandemia, de ordem financeira e emocional. Por mais difícil que seja o cenário atual, é possível encarar de modo positivo a situação e considerar os aprendizados obtidos com a pandemia, pois é uma oportunidade para repensar e melhorar muitas coisas.

E para que determinados desejos e necessidade aconteçam na vida é preciso de novas atitudes, outros comportamentos e hábitos, não basta só a mudança de ano. No entanto, é necessário compreender que as mudanças são construções gradativas e flexíveis

Porém, é fundamental que as expectativas de mudanças para o novo ano estejam alinhadas com a realidade.

Quando conhecemos a fundo quem somos, temos total consciência de nossos maiores desejos e clareza dos objetivos.

Ter esperanças de um ano melhor ou de mudanças é saudável e necessário, mas é preciso também ter a maturidade de aceitar e entender o momento presente, as possíveis mudanças nos planos e fazer ajustes ao longo do caminho, para permanecer sempre fiel a quem você é e ao que deseja.

É o momento de olharmos para frente com nossos sonhos e esperanças renovados, desejando tudo de melhor.

Algumas dicas

– Tenha foco – O objetivo é investir suas energias mentais, emocionais e físicas visando a obter o melhor resultado; escute músicas enquanto trabalha para manter o foco.

– Aprenda a dizer não a atividades que não são prioritárias.

– Estabeleça metas e sonhos a realizar: Foque naquilo que você deseja e planeje como alcançá-los.

– Planeje seu dia de acordo com as tarefas prioritárias e não as mais fáceis ou menores; manter-se alimentado deixará você com mais disposição para executar seu trabalho; exercícios, de preferência ao ar livre, com Sol, são essenciais para uma vida saudável.

– Mantenha seu ambiente de trabalho organizado.

– Cuide de suas emoções.

– Busque resolver possíveis conflitos pessoais.

– Liste todas as atividades paralelas que são necessárias para lidar com essas tarefas; comece pela tarefa ou atividade mais difícil, aquela que você menos gostaria de fazer.

– Quando tiver um grande projeto pela frente, quebre-o em partes e faça uma lista, um checklist de pequenas vitórias.

– Faça o que é realmente importante e não perca tempo demais querendo fazer com perfeição tarefas que não vão ter o mesmo efeito na produtividade e nos resultados.

Mais dicas

– Durante atividades que não exigem muito do seu cérebro, como lavar louça, fazer faxina, aproveite para ouvir algo produtivo, como, por exemplo, podcasts.

– Delegue tarefas a seus colaboradores e coloque responsabilidade nisso; é simplesmente impossível agradar a todas as pessoas; muitas vezes, essa demanda leva ao estresse, que pode causar depressão ou crises de pânico; sempre ceder aos desejos e vontades dos outros é a forma mais fácil de deixar de lado nossas próprias necessidades; quando dizemos “sim” para os outros, pagamos um preço por isso.

– Saiba a hora de descansar. Respeite os limites do seu corpo e mente; a produtividade, afinal, é uma questão de preservar o seu tempo e não de ter mais tempo; não podemos abraçar o mundo e achar que fazer um pouco de tudo irá nos tornar mais produtivos; o importante é encontrar o seu propósito.

– Acredite em si mesmo!

Crédito da foto: Cristian Escobar – Unsplash
Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois.

E mais…

Veja também no portal avŏsidade:

Dra. Elaine: medos e fobias

O que é a Síndrome da Cabana?

Dra. Olga: namoro na 3ª idade

O sofrimento do cuidador do idoso

Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então. Pois. Então.
É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É. Oi. É.

 [. .]

Acompanhe o portal avosidade também no Facebook, Instagram e podcast+!

Dra. Elaine Di Sarno

Psicóloga e Neuropsicóloga, mestre em Ciências pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), especialista em Terapia Cognitivo Comportamental

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.